A Ponte Terrestre Mundial: Redescobrindo a América

A `Ponte-Terrestre Mundial Nos momentos decisivos que vivemos na conjuntura mundial, que não se cinge à tentativa de estabelecimento de um estado de exceção no Brasil, à tentativa de prisão de Cristina Kirchner e até a de uma das mais conhecidas mães da Praça de Maio, na Argentina, o golpe no Paraguai e em Honduras, Leia mais sobreA Ponte Terrestre Mundial: Redescobrindo a América[…]

Investigações sobre a biopolítica I – A Empresa Mundial S/A e o modelo de governança jurídica no pós-Bretton Woods

A medicina moderna, segundo Foucault, é menos um lugar onde se explora a individualidade do paciente, a relação do médico com o doente, do que uma medicina social, focada primeiramente, no séc. XIX, no controle dos corpos e, com a instituição da psicanálise, do controle interno da família, da disposição dos quartos, da relação entre Leia mais sobreInvestigações sobre a biopolítica I – A Empresa Mundial S/A e o modelo de governança jurídica no pós-Bretton Woods[…]

A Nova Rota da Seda nos mostra a visão para o futuro da humanidade

Helga Zepp-LaRouche Helga Zepp-LaRouche, esposa do estadista norte-americano Lyndon LaRouche e fundadora do partido alemão Büso (Solidariedade), ganha atualmente fama inusual, somente menos inesperada no sentido em que, para lembrar o filósofo italiano Giorgio Agamben, vivemos nem tanto um “estado de exceção” (ainda não de todo consolidado, apesar da hegemonia mundial dos neocons a partir Leia mais sobreA Nova Rota da Seda nos mostra a visão para o futuro da humanidade[…]

Como o homem vê seus deuses

O homem-deus-besta egípcio e o homem grego representando Hermes e seu filho Dionísio, na escultura de Praxiteles

Na célebre peça de Ésquilo, Prometeu Acorrentado, três visões se dividem: uma em que Prometeu nada mais é do que um traidor, um integrante do grupo dos deuses oligarcas, e que deve ser castigado; na outra, a de um herói revolucionário, apaixonado, de conotações marxistas, e que traz o fogo à Terra; numa terceira visão, não é Prometeu, mas Zeus, o deus oligarca, o personagem trágico da peça.No escudo de Aquiles, descrito por Homero, também toda uma concepção distinta a respeito da visão do homem de seus deuses e heróis pode ser vista. Como isso molda nossa cultura? A qual espécie de deuses imaginamos servir, em nossas mentes e em nossas atitudes cotidianas como atitudes sempre políticas?

[…]

Caos e Teoria Social: a história do Instituto Tavistock

  Breve história do instituto de engenharia social do condado de Sussex, Inglaterra, responsável pela elaboração de determinantes padrões de manipulação social através da mídia, desde o Radio Research Project, liderado por Theodor Adorno e a Escola de Frankfurt, até a criação do conceito de Contracultura, em pleno festival de Woodstock, com a distribuição massiva, Leia mais sobreCaos e Teoria Social: a história do Instituto Tavistock[…]

Pensando o não visto

Riemann descansando depois de seus experimentos em geometria física não-euclidiana Texto traduzido por mim e publicado no site em português da Executive Intelligence Review. É o segundo texto da série, o primeiro, Pensando Sem Palavras, foi publicado aqui. Por Shawna Halevy Numa recente discussão no blog[1], nós estivemos debatendo a questão da natureza de certos Leia mais sobrePensando o não visto[…]

O Princípio Oligárquico

Prometeu Acorrentado, de Rubens

Zeus se tornou o deus mais degenerado de sua linhagem e foi mais tirano do que qualquer outro anteriormente. Conhecido por nós através da escrita de Homero, Zeus, um Don Juan de proporções épicas, viajou pelo mundo, raptando todas as mulheres em cada vilarejo, cada cidade, cada país, criando toda uma nova raça de bastardos os quais iriam herdar o reinado e mais tarde chamar a si mesmos de deuses, semi-deuses e heróis do povo. Esse ‘povo’ era verdadeiramente a posse animal da classe dos deuses.

O primeiro ato de Zeus foi mandar os Titãs (seus tios-avô e tias) que ajudaram-no na batalha, para a prisão. Depois planejou o genocídio em massa da população costeira, para livrar o mundo da carga da superpopulação e para matar qualquer possível sucessor que não fosse de sua própria linhagem. Como isso foi feito? Através da manipulação de guerras entre os homens, incitando-os a matarem-se entre si. Pegue uma citação de Cípria, um poema aproximadamente do sexto século a.C.: ‘Existiu um tempo em que as inúmeras tribos de homens, embora amplamente dispersas, oprimiam a superfície do âmago profundo da terra, e Zeus viu isso e teve piedade e no seu largo coração resolveu vazar o grande crescimento do homem na terra, causando o grande conflito da guerra de Ilíon, na qual a carga de mortes poderia aliviar o mundo. E assim os heróis foram assassinados em Tróia, e o plano de Zeus foi cumprido’”.

[…]

Lula em “pratos limpos” (Investigações sobre a biopolítica II)

Você sabe quem é o Assassino Econômico? Por muitos anos tentam incriminar Lula, bani-lo da vida pública. Desde os sequestradores de Abílio Diniz e que foram presos e mostrados aos jornais vestidos com a camisa do PT, passando pelos “aloprados”, pelo “mensalão”, pelo “triplex” do Guarujá, etc. Como de origem pobre, nordestino, bebedor de cachaça, Leia mais sobreLula em “pratos limpos” (Investigações sobre a biopolítica II)[…]