Radiografando a Nouvelle Vague Soviética

 

“Curioso é notar que os tempos turbulentos da Guerra Fria não influenciaram a produção russa. Os filmes tinham uma preocupação muito maior com o sujeito, com questões mais amplas como o que é a vida, onde personagens jovens se desvencilham do fardo do stalinismo e da guerra, se importando com questões mais subjetivas e com uma vida comunal mais solidária, que talvez se aproximasse de uma ideia matriz mais utópica da revolução, embora fique claro que essa ideia de comunidade não seguia nenhuma ideologia de Estado”.

[…]

Os BRICS no Centro de uma Nova e Justa Ordem Econômica Mundial

Texto traduzido por mim para a Executive Intelligence Review

Por Helga Zepp-LaRouche, fundadora e presidenta do Instituto Schiller

Inspirados pela ascensão épica da China, está ocorrendo uma reorientação estratégica dos países emergentes e em desenvolvimento, criando gradualmente no mundo todo uma ordem econômica baseada em princípios completamente diferentes. Enquanto o Ocidente tenta em vão defender o velho paradigma do sistema econômico neoliberal, cada vez mais países estão trabalhando com os BRICS, com a Organização para Cooperação de Xangai (OCX) e outras organizações regionais sob a rubrica da Iniciativa Um Cinturão, Uma Rota, baseados na cooperação ganha-ganha, e demonstrando que o mundo pode ser organizado de um modo muito mais humano do que aquela que temos visto com a União Europeia com sua bárbara política de refugiados. […]

A paz entre Trump e Putin: lição importante para o mundo

 

Da Executive Intelligence Review

Por Helga Zepp-LaRouche, fundadora e presidenta do Instituto Schiller

Deveria ser óbvio para qualquer pessoa esclarecida que melhorar as relações entre EUA e Rússia, a relação entre as nações que detém cerca de 90% das armas nucleares do mundo, cujo uso poderia varrer a humanidade, é uma coisa boa. Assim, os presidentes Trump e Putin merecem todo o crédito por abrirem esse caminho no Encontro de Helsinque, ao superarem a atual crise entre os dois países através do diálogo e da cooperação. Contudo, dado a histeria sem precedentes do establishment neoliberal e da grande mídia dos dois lados do Atlântico em resposta a esse encontro, também fica claro que essa poderosa elite prefere a destruição da civilização humana do que aceitar cooperar com a Rússia. […]