O tempo que resta: um comentário a Carta aos Romanos, de Giorgio Agamben (1ª Jornada)

Em “O tempo que resta: um comentário à Carta aos Romanos”, Giorgio Agamben se ocupa da estrutura do tempo messiânico. Para isso, se ocupa do incipit, da frase inicial da carta de Paulo aos romanos, como forma de recapitulação da tarefa do antigo filósofo (nem apóstolo, nem santo), que esteve bem distante da alcunha de “inventor do cristianismo”. Sua ocupação é com o Messias; se exprime através de uma língua ou literatura menor (Deleuze e Guattari) e prefigura um autor contemporâneo a nós, Walter Benjamin. O trabalho a seguir dá conta da primeira jornada do livro numa leitura pormenorizada que irá seguir a obra até o seu final.
 
Pode ser uma imagem de 1 pessoa e texto que diz "GIORGIO AGAMBEN o tempo que resta Um comentário à Carta aos Romanos Ο TEMPO QUE RESTA: UM ESTUDO 1a 1 JORNADA"