A Nova Rota da Seda se torna a Ponte Terrestre Mundial: um Tour

Diferentes tipos de trens de alta velocidade estacionado na Estação Ferroviária Sul de Beijing. Os trens de alta velocidade chineses fazem a viagem de Beijing a Xangai (normalmente com a duração de 14 horas) em aproximadamente 5 horas. [foto: U.S. Army Band]



Você já ouviu falar da antiga Rota da Seda que conectava a China a Europa através de uma longa rota de viagem. Foi pelo comércio de seda, da porcelana e de livros impressos, porém mais importante que os bens foram as trocas em tecnologia. A antiga Roda da Seda trouxe enormes benefícios econômicos para todos os países participantes, mas foi também uma troca de ideias e de bens culturais. Hoje a China está oferecendo uma nova Rota da Seda e uma Rota da Seda Marítima, em que já estão cooperando mais de 60 países. A China realizou um milagre econômico nos últimos 30 anos, algo que os países desenvolvidos precisaram de 150 a 200 anos para fazerem. Agora a China está oferecendo esse mesmo modelo para todos os países que queiram cooperar com essa perspectiva. A Nova Rota da Seda é baseada na perspectiva “ganha-ganha”, isto é, cada país que participar terá benefícios culturais, políticos e econômicos iguais. Essa é a verdadeira ideia para a superação da geopolítica, o mal que causou duas Guerras Mundiais no século XX. Ela oferece a perspectiva de um verdadeiro desenvolvimento global em parceria para que toda a humanidade trabalhe junto pelos anseios comuns da humanidade.

Veja esse vídeo e você terá noção de como é fácil mudar o mundo para melhor.
Vídeo traduzido e legendado por mim para o site em português da Executive Intelligence Review. Sua transcrição foi publicada nesse blog na postagem Quem tem medo da China?