Miséria e Curitiba

Esse design inteligente e ousado foi eu mesmo que fiz.

Os canalhas querem que agora nos justifiquemos com “argumentos jurídicos”. Supostamente, a farsa do TRF-4 sepultou-os. Para a esquerda, dizem eles. Na verdade, houve a implosão de qualquer ordenamento jurídico. Entramos na lógica, ou nos querem fazer entrar na lógica, que legitima o sorriso superior da “festa dos eleitos”. Esse show bizarro que Amaury Jr. caracteriza muito bem, vai bem longe da lógica mais elementar. Caso se fale de moralismo, algo tão em voga, podemos usar um versículo bíblico: “Quando deres um festim, não convides teus amigos, nem os teus irmãos, nem os teus vizinhos ricos, para que não suceda que também eles te tornem a convidar e te seja isso recompensado.” (Lucas, 14.12). Quando deres uma festa, chame aos pobres e estropiados: essa a cisão que devemos operar. Da festa dos ricos de janeiro de 2018, a festa dos pobres, dos estropiados, nas eleições que se avizinham. A luta por essa repartição das riquezas é o objetivo de toda a campanha a favor de Lula, para além de qualquer consenso “das esquerdas” ou interpartidário.

[…]